Header Ads

Vocalista do O'Troco faz crítica a contratantes de bandas de pagode: Cachê 'é injusto'


O vocalista da banda O’Troco, Mário Brasil, resolveu desabafar sobre a baixa valorização dos músicos em Salvador. Em um vídeo postado nas redes sociais ele criticou a atitude de pessoas que ele se refere como “falsos empresários”, que querem pagar qualquer valor para os profissionais que fazem parte do segmento. 

“Como é que eu vou tirar um pai de família de dentro de casa para ganhar 50 reais a noite toda de trabalho? Isso é injusto. A galera do pagode tem que ver isso. [...] Se você quiser levar a minha banda e fazer o lançamento de meu CD, as minhas regras são assim: Aqui quem manda sou eu, não tem empresário, não tenho ninguém com tráfico de drogas bancando minha banda, não tem ninguém com cartão clonado. Aqui é O'Troco é Mário Brasil sozinho se virando. Eu só toco onde pagarem o acerto, porque o que é acertado não sai caro. Eu não vou me prostituir para vocês para me aparecer. Eu canto pagode para pagar Coelba e Embasa. Eu tenho filho para criar, eu tenho contas para pagar”, disse o cantor. 

Em determinado ponto do desabafo ele voltou a falar dos profissionais que tocam nas bandas e pediu para que os músicos busquem a autovalorização e não aceitem mais qualquer quantia para realizar as apresentações. “E os músicos que estão se acabando ali atrás? Eles precisam de carinho e respeito assim como o artista principal da banda. [...] Você músico tem que se respeitar, parar de aceitar essa humilhação que esses caras querem fazer”, afirmou. 

Mário também comentou que ficou chateado com outro comentário do contratante, que teria dito a ele que tem outras bandas que aceitariam tocar por um cachê de R$ 50. O vocalista, então, relatou o que teria respondido para a pessoa. “Se você acha que banda tal é a mesma coisa de levar O’Troco, ou melhor, você pode convidar a banda tal”, contou. 

Por fim, ele também esclareceu de onde partiu o contato e esclareceu que se manteria firme nas sua forma de ganhar dinheiro com a música: “Não fui eu que te liguei pedindo para tocar e fazendo lançamento de meu CD novo na sua casa de espetáculo. Você está me ligando, você está me chamando para fazer a parceria. Só que minha parceria o meu acerto é esse. Eu quero ter, pelo menos o dinheiro certo e correto dos meus músicos, porque eu não vou tirar os meus músicos de casa para ganhar a noite toda e perder a noite toda para ganhar 50 reais. Não vou, não fui e não faço questão de ir”.  

Confira o desabafo na íntegra: 

Nenhum comentário